desfrutando de uma vista panorâmica sobre o vale glaciar

O que visitar na Serra da Estrela?

Conheça os encantos da Serra da Estrela! Comece por explorar Manteigas e parta à descoberta da Serra ...

Manteigas - No coração da Serra

Em pleno coração da Serra da Estrela e totalmente incluído no Parque natural da Serra da estrela, ergue-se, o mais pequeno concelho do distrito da Guarda.

Ignora-se o nome que davam à vila de Manteigas e por quem teria sido fundada visto que nenhum monumento há de que se possa tirar fio condutor nesse sentido. Diz a tradição que Júlio César passou por aqui, cinquenta anos a.C., à frente dos seus soldados.

A origem dos foros e privilégios, usos e costumes da Vila de Manteigas, cuja denominação de aldeia se encontra em muitos documentos do séc. XII e seguintes são idênticos aos de muitas outras terras circunvizinhas que assentaram raízes em volta das faldas da Serra conhecida naquelas recuadas épocas por Monte Hermeni, hoje denominada por Serra da Estrela.

No ano de 1188, D. Sancho I deu o primeiro Foral à vila de Manteigas e D. Manuel I concedeu-lhe novo Foral a 4 de Março de 1514 em Lisboa, este além do interesse que tem como documento comprovativo da autonomia da vila na época, assume grande significado por nele se achar a referência mais antiga e segura ao foral que D. Sancho I concedeu a Manteigas.

Das quatro freguesias que constituem o concelho, sabe-se que a freguesia de Santa Maria e S. Pedro se terão formado entre as datas de 1336 e 1338. A freguesia de Sameiro, que pertenceu ao concelho da Covilhã e ao extinto concelho de Valhelhas, só em 1835 foi adstrita ao concelho de Manteigas.

Locais como o Covão da Ametade, a Nave de Santo António, o Cântaro Magro e o Espinhaço do Cão são algumas das passagens obrigatórias. Encontrará curvas e contracurvas, blocos de pedra engenhosamente esculpidos, vertentes abruptas e linhas de água em cascata.

O concelho de Manteigas , extinto a 26 de Junho de 1896 e anexado ao da Guarda, veio a ser restaurado em 13 de Janeiro de 1898. A freguesia de Vale de Amoreira passou a integrar o concelho a partir de 1 de Janeiro de 2002 ao abrigo da Lei nº 29/2001 de 12 de Julho.

O concelho de Manteigas está integrado na vasta área da Cordilheira Central e especificamente na Beira Interior Norte, em pleno coração da Serra da Estrela, totalmente incluído no Parque Natural da Serra da Estrela.

É o concelho mais pequeno do distrito da Guarda, com uma área de 12.659 hectares (Sameiro - 2.104; Santa Maria - 2.554; S. Pedro – 6.301 e Vale de Amoreira – 1.700), delimitado pelos concelhos da Guarda, Covilhã, Gouveia e Seia. Por si só, constituiu uma zona privilegiada dadas as condições naturais, ecológicas e paisagísticas que deslumbram os naturais e visitantes.

Manteigas, apresenta sob o ponto de vista morfológico três unidades distintas que compreendem a área planáltica, o Vale do Rio Zêzere e as zonas xistosas do nordeste. Grande parte do território concelhio é ocupado por matas e "incultos", e nas zonas florestadas predomina entre outras o pinheiro bravo, o castanheiro e o pseudotesuga.

A população do concelho de Manteigas soma um total de 4.083 habitantes, sendo sinal preocupante a saída dos mais jovens e o acentuado índice de envelhecimento da população. O concelho é constituído por duas freguesias urbanas, Santa Maria e S. Pedro, com 1.605 e 1.761 habitantes e duas freguesias rurais, Sameiro e Vale de Amoreira, com 455 e 262 habitantes respectivamente.

In suplemento do Semanário Expresso, edição n.º 1573 de 21/12/2002

Vídeo sobre Manteigas

Conheça Manteigas na óptica de Luiz Plácido, um brasileiro que se apaixonou por Portugal e criou um canal no Youtube chamado Destino Portugal. Neste vídeo Luiz diz "que ao chegar em Manteigas fiquei fascinado pela beleza daquele lugar, você chega por uma estradinha que beira um vale glacial e ao ver a vila de longe já começa a se surpreender, a vila que contorna a estrada, é em forma de uma letra U e rodeada por paisagens deslumbrantes, você chega a se perder ao caminhar pelas ruas do lugar, mas não porque Manteigas é uma lugar grande, e sim pelo fato de você parar de cinco em cinco minutos para admirar uma vista ou tirar uma fotografia, ficando ali "

A Serra da Estrela no Verão

Explore este fantástico vídeo de Luís Carneiro e veja como a Serra também é fantástica no Verão! Imagens captadas na Serra da Estrela durante o Verão de 2015

Vale Glaciar da Serra da Estrela

Veja agora a beleza da Serra da Estrela na Primavera e do seu Vale Glaciar em Manteigas num fantástico vídeo feito por TheBeites.

Rota dos Vales Glaciares

São cinco os principais vales que a natureza caprichou em desenhar na Serra da Estrela. A Rota dos Vales Glaciários vai da origem do glaciar até aos depósitos deixados pela massa de gelo em movimento. Um cenário ímpar no País.

Tudo começou há milhares de anos, quando a glaciação na Serra da Estrela formou uma densa cúpula de gelo no planalto da Torre. Com o passar dos anos e o progressivo aumento da temperatura, eclodiram "línguas" de gelo que, ao cair para altitudes mais baixas, vincavam forma e curvas aos vales já existentes. A Rota dos Vales Glaciários propõe-se trilhar os mesmos caminhos que o glaciar percorreu.A pé ou de automóvel, parta à descoberta destas marcas do tempo.

O Vale Glaciário do Zêzere atinge os 13 quilómetros de extensão, o que faz dele o maior vale glaciário da Europa.

Percorra-o a pé na sua totalidade – o que poderá demorar cerca de cinco horas – ou faça o percurso de automóvel – cerca de vinte minutos – e admire toda a magnitude do trajecto.

Locais como o Covão da Ametade, a Nave de Santo António, o Cântaro Magro e o Espinhaço do Cão são algumas das passagens obrigatórias. Encontrará curvas e contracurvas, blocos de pedra engenhosamente esculpidos, vertentes abruptas e linhas de água em cascata.

Formado por um glaciar que atingiu os 5,5 quilómetros de comprimento, o Vale Glaciar de Alforfa é aquele onde melhor se observam terrenos de acumulação proglaciária, caminhos anárquicos e blocos gigantescos. Também aqui, pode aventurar-se a pé ou de automóvel. Para os mais resistentes, aqui fica a sugestão: desça as vertentes do Covão do Ferro e passe à barragem do Padre Alfredo, percorra a encosta da nascente do Terroieiro e o Covão da Mulher até à vila de Belo Horizonte, onde o vale outrora atingiu uma espessura de gelo superior a 200 metros. Siga até a Cabeçada e vire à direita pelo caminho florestal que desce a encosta até ao Cruzeiro, terminando o passeio em Unhais das Serra.

In suplemento do Semanário Expresso, edição n.º 1573 de 21/12/2002

Viveiro das Trutas

A apenas 5 min do Descanso Serrano encontra-se a Estância Termal de Caldas de Manteigas onde pode encontrar o Centro Interpretativo do Vale Glaciar do Zêzere, o Viveiro das Trutas, as Termas de Manteigas e um parque de merendas.

No Viveiro das Trutas pode encontrar dois tipos de trutas produzidas na truticultura: a truta fário e truta arco-íris. Visite o Viveiro das Trutas e veja como as trutas aproveitam bem as “proveitado as águas cristalinas e bravas que irrompem da serra”. Se quiser aproveite para comprar algumas das trutas produzidas na truticultura.

Forografia: Prof2000

Fonte Paulo Luís Martins

Sugerimos ainda a visita a esta fantástica "nascente natural a 1300m de altiude com um caudal considerável, ocorre na interseção de falhas locais com a grande falha da Vilariça que se estende ao longo do Vale do Zêzere."

Texto e fotografia: Museu de Manteigas

Nossa Senhora dos Pastores

No meio das rochas da Serra da Estrela pode encontrar uma escultura com mais de 7 metros de altura da Senhora da Boa Estrela, Santa protectora dos Pastores.

Fotografia: Visitas virtuais

Poço do Inferno

Um dos ex-líbiris do concelho de Manteigas e da Serra da Estrela! Uma casacata de 10 metro que gela nos Invernos mais rigorosos.

"Neste local, a ribeira de Leandres, afluente da margem direita do Zêzere, atravessa uma zona de relevo acidentado, onde o granito contacta com a corneana, rocha de menor resistência à erosão, formando uma cascata com cerca de dez metros de altura, que torna este local um dos pontos mais visitados da Estrela." (fonte: CISE)

O Poço do Inferno fica a apenas 15min de carro do Descanso Serrano e tem parque de estacionamento no local.

Fotografia: CISE

Covão da Ponte

A apenas 15min do Descanso Serrano é um espaço de turismo de natureza onde passam as límpidas e gálidas águas do Mondego!

"Covão situado na bacia superior do Mondego, a uma altitude de cerca de 950 metros, que se caracteriza por apresentar, nas margens dos principais cursos de água, campos de cultivo, pastagens, matos e povoamento de resinosas. Neste cenário, ocorre uma grande diversidade de espécies de flora e fauna que contribuem para o valor cénico e recreativo do local."   (fonte: CISE)

Fotografia: CISE

Miradouro do Fragão do Corvo

"O miradouro do Fragão do Corvo, situado próximo das Penhas Douradas, a uma altitude de cerca de 1450 metros, proporciona um dos mais deslumbrantes panoramas da Estrela. Deste ponto é possível obter uma vista abrangente sobre a vila de Manteigas e o vale glaciário do Zêzere, bem como sobre a cidade da Guarda e as serras de Peña de Francia, Béjar e Gredos, em Espanha. (fonte: CISE)

Fotografia: CISE

Museu do Pão

 

A 45min do Descanso Serrano encontra-se o Museu do Pão (em Seia) onde pode ficar a conhecer tudo sobre o pão. Os "os mais novos poderão não só observar o ciclo do pão e o seu processo de feitura, mas também manipular a própria farinha, aliando a componente pedagógica à lúdica."

Fotografia: Museu do Pão
Texto: Centro de Portugal

As Lagoas da Serra da Estrela

Aproveite também para visitar as 25 lagoas existentes no planalto da Serra da Estrela e no Vale do Zêzere que adquiram em 2006 o estatuto de Zona Húmida de Importânica Internacional. Aproveite também para fazer os roteiros turístico. Agora delicie-se com estas fantásticas fotografias de algumas lagoas da Serra da Estrela. "

Lagoa do Covão dos Conchos

Fotografia: 7 Cumes

Lagoa Comprida

Fotografia: CISE

 

Newsletter

Powered by ChronoForms - ChronoEngine.com